FANDOM



Era fim de tarde na cidade Wikaner. Todos cansados do dia duro de trabalho se diriam para suas casas a fim de aproveitar o início do fim-de-semana. A banca de revistas se fechava, os lojistas faziam o mesmo, tudo seguia este ritmo menos o mercado que aguardava um garoto ir embora. Quando este sai com seu skate,enfim o estabelecimento pôde encerrar o seu curso, e assim este revela ser ninguém menos do que o lendário "Savoir Mad". Em alta-velocidade, Savoir anda despreocupado pelas calçadas da cidade quase atropelando muitos dos trabalhadores que estavam indo a pé para casa. Uma velhinha aguarda o sinal abrir, e quando ele abre a mesma obra para os dois lados, mas não para trás no exato momento em que Savoir quase a atropela, e acaba a derrubando. Ele anda intacto tomando refrigerante enquanto a idosa se recompõe, quando o semáforo fecha. Com raiva nos olhos ela apenas diz "Savoir". Mad continua desta vez com os carros andando junto a eles na rua atrapalhando o trânsito. Um carro a sua frente acaba tendo que frear abruptamente e um impacto é inevitável. Assim que percebe o garoto levanta-se para cima do capô do automóvel e prossegue irritando o condutor que apenas diz "Savoir”, e enfim o choque tão esperado acontece. O veículo de trás acaba por bater em sua traseira. Despreocupado, o rapaz chega até a periferia e olha um mendigo revirando lixo, o ignorando em sequência. Ao perceber, o homem desvairado comenta o desfeito com um saco de lixo, que nada tinha a dizer sobre o acontecimento. No bairro em que estava, eis que chega a um prédio, chamado de M-A's Society. Savoir de skate sobe a escadaria e é visto por um cara negro de óculos escuros, de porte bem intimidador. Este é Jurandir Peixoto - o segurança do prédio - e também diz "Savoir", como os outros, com ar de reprovação. Na recepção, aquela prancha de rodas continua bem ativa até ser parada por um questionamento vindo de um moço bem arrumado de cabelos pretos bem penteados e óculos de grau. Seu nome era Anderson Eduardo Citto - apelidado entre os moradores de "Gênio".

  • Gênio: Eu posso saber quem que DE NOVO te deixou entrar com o skate nesse saguão?
  • Savoir Mad: Relaxa! Não quebrei nada desta vez.
  • Gênio: Não? QUE BOM QUE NÃO QUEBROU NADA DESSA VEZ!
  • Savoir Mad: Relaxa, tá bom. Deixa eu ir para minha casa e depois agente conversa.
  • Gênio: Henrique...
  • Savoir Mad: Savoir Mad, pra você é Savoir Mad.
  • Gênio: Savoir Mad! Por favor, paga seu aluguel! Estamos indo a falência com você! Quebra, picha, deflagra e ainda nem sequer o aluguel nos dá graça!
  • Savoir Mad: Eu paguei o aluguel.
  • Gênio: NÃO PAGOU!
  • Savoir Mad: Fica frio, tá bom! Toma uma bala de hortelã pra acalma. Pronto. Paguei o meu aluguel.
  • (Savoir Mad sai da discussão descaradamente e se dirige ao elevador, e lá entra apartamento o botão de seu bloco, desaparecendo.)
  • Gênio: Savoir... Desse jeito não dá. Crie coragem e vá falar com o Comandante, Gênio. Ah que ótimo! Estou falando sozinho. Pronto, já fiquei maluco.
  • (Gênio se dirige ao balcão, onde Megan está revisando as contas de Rafael - o proprietário do prédio, também apelidado de "Comandante".)
  • Gênio: Você viu aquilo? Hein? O Savoir Mad me tratando daquele jeito e nem sequer me dando satisfação do aluguel atrasado.
  • Megan: Perdi o show desta vez, estava aqui conferindo as contas do Comandante. Dá para acreditar que ele gastou mil quinhentos e quarenta reais no cartão de crédito este mês?
  • Gênio: Claro! Tivemos que pintar o muro três vezes este mês, graças ao Savoir! Não aguento mais isto! Megan. Preciso falar com o Comandante. Por favor, fale para ele que eu estou indo a caminho.
  • Megan: NÃO! O Comandante está muito ocupado agora.
  • Gênio: E quando ele não está? Quero falar com ele sim!
  • Megan: Não posso deixar você entrar na sala da administração. O Comandante foi bem claro em pedir para ninguém entrar lá. Ele está em uma reunião importante com o Sabará.
  • Gênio: Sabará? O Sabará? Sério?
  • Megan: Sim. E parece ser algo importante, não interrompa.
  • Gênio: Aff! Não posso deixar de falar isso. O Savoir já está passando do ponto! Com aquele ceticismo, indiferença, e aquela cara de não tenho nada a ver com isso. Foram um ano... Nem um mês, nem três meses, nem seis meses... Mas sim, um ano de aluguel atrasado! E ninguém fez nada! Não dá para aguentar isto! Eu faço tanto pelo prédio e estou impedido de pedir ajuda? Isto é inadmissível!
  • Megan: Não fale isto comigo, fale com o Comandante. Mas não agora, agora está muito ocupado.

Gênio se encoraja e aguarda Sabará sair. Dentro da sala de administração o cenário era diferente do contado, ninguém conversava ou debatia. Dois rapazes caucasianos; um de cabelos loiros e o outro de cabelos castanhos, o primeiro bem magro e o segundo bem esbelto de óculos escuros; Estes eram respectivamente Lucas Ricotta, coproprietário do M-A's Society e síndico não oficial do mesmo, apelidado por conta de sua função como "Ordenador"; e o tão citado "Comandante", chamado de Rafael Dlamant, e o proprietário abastado do prédio. Estes estavam esperando em um sofá o trabalho de Sabará, que se resumia na verdade no conserto de um televisor de tela plana.

  • Sabará: Acabei. Pronto, Comandante. Conforme pediu sua TV está consertada ainda no prazo. Trabalho excepcional. Obrigado por confiar em meu negócio para tratar do conserto de seu eletrodoméstico e adoraria que divulgasse meus serviços com seus inquilinos. Espero que goste de todas as funções que habilitei e tudo o que eu melhorei, feito perfeitamente para...
  • Comandante: Quanto lhe devo?
  • Sabará: Nada, Comandante. Nada. É um presente meu pelo excelente trabalho que fizeres ao nosso antigo grupo, os M-A's, expulsando o Morre-Arth do comando destas terras e erguendo um prédio sobre elas, com uma inteligente tacada que fez com a prefeitura de Wikaner, já que nem éramos os proprietários reais das mesmas. Um excelente feito que gerou uma excelente fonte de lucro. Tudo isso feito por você, logo tão jovem e...
  • Comandante: Está bem... Já pode ir.
  • Sabará: Oh, sim. Mas antes se me permite o atrevimento, gostaria de seu bom grado para me dar me responder uma questão. Qual seria o motivo de tanta pressa em consertar seu televisor? Já que me ligou com urgência e...
  • (Comandante olha para Ordenador e faz um olhar sarcástico a Sabará.)
  • Sabará: E então?
  • Ordenador: Olha. Amanhã será fim-de-semana, está quase de noite, e nosso televisor havia quebrado. Você é a única pessoa que viria nos auxiliar nestas condições.
  • Sabará: Ahnn. Pensei que tinha algo a ver com planos e metas renascentistas para com os M-A's. Imaginava que eles viriam a voltar à ativa. Instalei até conectividade não só com as câmaras do prédio como as da rua; mas tudo bem.
  • Comandante: Ficamos gratos. Assim fica fácil identificar quem é o pichador solitário que está nos causando problemas. Enfim, até logo Sabará.
  • Ordenador: Obrigado por seu serviço. Até.
  • (Sabará sai da sala, desconcertado.)
  • Comandante: Sério? "Nosso televisor quebrou." "Você é a única pessoa que pode nos ajudar?" Eu disse que não quero mais nenhuma relação com o Sabará! Você falou que ia ser tudo por sua conta, sem me envolver com isso.
  • Ordenador: Sim. Mas não falei a verdade?
  • Comandante: O mecânico viria amanhã cedo! Podíamos ter esperado.
  • Ordenador: Eu sei. Mas amanhã queria que fosse um dia isolado, sem ninguém nos interrompendo aqui. Fiquei preparando este dia o mês inteiro. O quarto Sábado do mês tem que ser sagrado. O único onde podemos relaxar conforme quisermos, sem as turbulências da rotina.
  • Comandante: Eu detesto ter que depender de alguém. Ainda mais sendo este alguém o Sabará.
  • (Gênio entra na sala.)
  • Gênio: Com licença.
  • Comandante: Diga. Aconteceu alguma coisa?
  • Gênio: Sim. (com um ar de nervosismo.)
  • Ordenador: Droga!
  • Comandante: Diga.
  • Gênio: Tem haver com Savoir. Savoir Mad. (Ordenador se alivia.)
  • Comandante: Ele? Por favor, chame a Megan aqui. (Gênio obedece.)
  • Ordenador: O que pretende fazer?
  • Comandante: Me escute, e não fale nada desta vez.
  • Gênio: Pronto. Agora...
  • Comandante: Olá, Megan.
  • Megan: Olá, Comandante. Foi boa a reunião com Sabará?
  • Comandante: Como sempre não. Não gosto daquele mineirinho.
  • Gênio: ...
  • Comandante: Bom. Gênio me disse sobre problemas com Savoir Mad, os quais são resolvidos na realidade como Ordenador, e não comigo. Saiba bem disto. No entanto, amanhã iremos passar o dia reanalisando às condições atuais de nosso prédio e estratégias novas a serem tomadas, ou seja, burocracia. Nisto preciso que um de vocês fique no comando das demais funções, como o financeiro, os apartamentos, e cobrança de aluguel. (Gênio se anima, uma vez que percebe-se entendido.) Por isto, eu decidi que no dia de Sábado, todo o comando estará com uma merecida pessoa, a qual está em minha frente. Todo o M-A's Society de agora até domingo estarão por sua conta, Megan.
  • Gênio: Como?
  • Megan: Sério? Tipo geral? Tudo?
  • Comandante: Sim. Sei que se saíra bem, só não quero que ninguém nos incomode.
  • Megan: Claro.
  • Gênio: Mas...
  • Comandante: Isto é tudo. Podem sair e dispensem o Segurança. Deixe-o ver sua cama mais cedo hoje. É um presente meu.
  • Megan: Ok. Obrigado, Comandante.
  • Comandante: De nada.
  • (Os dois saem do local.)
  • Ordenador: Genial! Perfeito! Ninguém irá nos incomodar neste sábado! Isto é brilhante... Isto é incrível.
  • Comandante: Obrigado. Espero que tenha preparado algo que vale a pena o dia perdido.
  • Ordenador: Mas... É claro. Em homenagem aos velhos tempos eu preparei algo igualzinho o nosso velho esquema. Comprei uma boa comida, os equipamentos já estão prontos, e ainda hackeei sequências inéditas para aqueles jogos que jogávamos antes. E olha que eles ainda nem estão a venda, e desta vez já testei e deu certo! Um dia de alienação perfeito!
  • Comandante: Excelente. Agora irei para minha casa. Tenho ainda uns compromissos pendentes.

Sendo assim, todos obedecem as ordens de Comandante. A recepção é fechada do prédio, e Gênio sente um ciúmes pelo fato de Megan ter ganho tal cargo, e a mesma está grandiosamente animada com a novidade. A noite chega e todos vão para seus respectivos quartos e dormem, seguindo assim o velho fluxo. Todos menos Savoir Mad, que com latas de spray se dirige ao muro traseiro do edifício pintado recentemente de branco e o picha com a frase: "Quer cobrar o aluguel? Fala com o Batman!". Ao lado faz uma caricatura do próprio Batman. No dia seguinte, Gênio viu o afronto e comenta com Megan, como se nada tivesse mudado.

  • Gênio: Aquele sem vergonha! Pichou de novo, aquele ingrato!! Dá para acreditar nele!?
  • Megan: De novo com esta história?
  • Gênio: Temos que fazer alguma coisa já! Vou falar com o Comandante sobre isto imediatamente!
  • Megan: Já virou hábito, né?
  • Gênio: Sim já virou hábito, "'né". Não podemos...!
  • Megan: O Comandante pediu para não ser atordoado hoje. Vá você e pinte o muro de branco com a tinta que sobrou da última vez.
  • Gênio: Ahhnn? E dar oportunidades para ele pichar de novo! Eu tenho mesmo é que...
  • Megan: Eu sou a Comandante! Neste sábado é comigo que tem que falar. E eu digo para você ir lá e pintar o muro. Fim de papo.
  • Gênio: Mas... Isto é justo? Eu até posso ir, mas algo tem que ser feito para que o Savoir possa aprender...
  • (Da entrada para aquele saguão surge uma face nova. Vestindo uma camiseta azul e também óculos escuros, e com o primeiro nome de Greg na carteira de identidade, eis que Cyber aparece.)
  • Cyber: Eai, gente! Preciso falar com o Comandante.
  • Megan: Está olhando pra ele.
  • Cyber: Como assim? kkk Não brinca. O Comandante te passou o comando? Isto é incrível!
  • Gênio: É... Incrível.
  • Cyber: Eu vim aqui avisar que picharam o muro lá de trás. Tão bonito...
  • Gênio: É... ...Tão bonito.
  • Megan: É. Infelizmente foi o Savoir Mad. Ele precisa aprender uma lição.
  • Cyber: Concordo. Você podia dar um jeito de intimá-lo. Jogá-lo para fora de casa sem seus pertences. Vai você e mais um homem, que tenha presença.
  • Gênio: Pode ser. Eu ia adorar.
  • Megan: Perfeito. O Segurança. Boa ideia. Quero acabar com isto de uma vez por todas.
  • Gênio: Como assim…
  • Cyber: Vai como se fosse um oficial de justiça, entregando a ele um mandato. Aquele chato não iria sair por qualquer motivo. Pelo tanto que imagino que ele deva você pode até tirar a roupa do corpo dele para cobrir a conta. Ia ser engraçado.
  • Megan: Isto eu duvido que vá acontecer. Se bem que se ele for preso ninguém mais vai ter que aguentá-lo.
  • Cyber: Exatamente. Bom. Deixa-me ir agora por que tenho um almoço para preparar. (Gênio percebendo-se invisível faz uma expressão clara de decepção e indignação. Cyber se retira.)
  • Megan: Foi mal, Gênio. Por ter te tirado da conversa. Mas o Cyber teve uma ótima ideia, vai te acalmar não?
  • Gênio: Sim, claro. Eu quero ir junto. Participar desta investida.
  • Megan: Não dá. Alguém tem que "desvandalizar" o muro. Eu vou com o Segurança. Sabe que ele é o cara certo para o serviço.
  • Gênio: Está bem.

Gênio passa uma cobertura branca na parede traseira; ainda inconformado com a situação. Enquanto isto, Megan e Segurança sobrem no elevador até o vigésimo andar, e entram com a chave no apartamento três. A bagunça é tremenda que mal podem passar. Cheia de caixas de pizza, refrigerantes, e até uma barata que enoja a garota compondo aquele cenário. Da sala, um barulho constante é ouvido, de pessoas gritando com o som do sangue que escoria para o chão, além de uma lâmina cortante empunhada por um guerreiro violento. Chegando até lá, percebe-se o rapaz que estava jogando um videogame. Momento certo para passar a mensagem.

  • Savoir Mad: Megan? Juran...
  • Segurança: Me chame de Segurança. Somente isto.
  • Savoir Mad: O que fazem aqui?
  • Megan: Saia desta casa agora! Estamos a tomando de você. Um ano de aluguel atrasado já é demais.
  • Savoir Mad: Isto não é comigo, é com o Batman.
  • Segurança: Escuta aqui seu nanico...
  • Savoir Mad: Pra você é Savoir, Savoir Mad.
  • Segurança: Que seja. Nem tente bancar o moleque mimado comigo. Saia desta casa agora, seu irresponsável.Só volte quando tiver cacife para poder bancar nossa locatória, e meios para pagar esta bola de neve que você mesmo formou.
  • Savoir Mad: Quanto é que eu devo?
  • (Megan se lembra de ter esquecido de olhar o valor acumulado da dívida. Soma mentalmente e chega a um total.)
  • Megan: Nove mil reais! Sem os estragos causados até hoje, é claro.
  • Savoir Mad: Ahhhhhnn... Não. Não tenho o dinheiro. Venha aqui outra hora.
  • Megan: Savoir, acabou! Tenho todo o direito de te mandar para fora deste apartamento! Saia imediatamente ou então eu posso até chamar a policia.(Mad desliga o videogame.)
  • Savoir Mad: Megan, relaxa! Eu pago tudo numa boa. Só me dê um tempo pra pagar.
  • Megan: Tem até o fim deste Sábado.
  • Savoir Mad: Pode ser o ano que vêm? Daí eu topo.
  • Segurança: Escuta aqui, Savoir. Ou paga hoje, ou tá na rua!
  • Savoir Mad: E de onde eu vou arrumar cinco mil...
  • Megan: NOVE mil.
  • Savoir Mad: Tanto faz.De onde eu arrumareiNOVE mil reais assim tão de presa?
  • Megan: Isso é você quem deverá saber, pois está alheio a minha jurisdição até o fim deste dia. Se não me pagar nove mil reais até o fim dele, esta casa é minha.
  • Savoir Mad:Ok! Ok! Só me responda uma coisa. Você tem nove mil reais para me emprestar?
  • Megan: Tá de brincadeira né?
  • Savoir Mad: Tô sim. Mas, sério? Nove mil! Vou ter que assaltar um banco pra conseguir esse dinheiro! Eu vou ter que me tornar um ladrão. Nunca roubei nem o estojo dos meus colegas de minha antiga escola; imagine eu roubando um banco! Megan. Eu vou ser um criminoso, e a culpa vai ser sua! Isto é...
  • Megan: Pode parar. Até o fim do dia.
  • Savoir Mad: Até.
  • (Os dois deixam Savoir no apartamento, saindo pela porta da frente.)
  • Segurança: Fez um belo trabalho como "Comandanta", Megan.
  • Megan: Obrigada. Não foi tão difícil agir desta forma com o Mad. É só se concentrar naquele olhar malandro dele, e qualquer sentimento de dó que possa surgir se esgota na hora.
  • (Os dois entram no elevador.)
  • Segurança: Mas infelizmente, acho que isto não acabará tão fácil. Savoir é um tremendo vagabundo e nove mil em um dia é muito pra ele. Acho justo ele ser mandado para rua, mas Mad é vingativo e irá causar danos a este prédio como parte de uma eventual vingança. Esteja preparada Megan, pois ele não respeita ninguém, somente a autoridade do Comandante.
  • Megan: Sem problemas. Hoje EU sou a Comandante.

E assim sendo, Megan e Segurança retornam a seus postos. Megan decide chegaràs finanças do prédio na esperança de se sobressair para Comandante, o impressionando em seus serviços. O dia assim se passa, com Gênio terminando com o muro e rapidamente assume outro dever seu, entregando os jornais matinais para os inquilinos em todos os vinte e dois andares do edifício. No caminho, ele se depara com um rapaz cujas expressões faciais o passam um ar de sério, e seu jeito de ousado, que usava uma camiseta verde com duas listras pretas na região do tórax. Este era “Mata-Trouxas”, também residente daquela estrutura, com o nome real de Cássio Asprote. Logo um diálogo se inicia.

  • Mata-Trouxas: Eai, cara. Quanto tempo, hein. Como é que vai?(diz ele com um olhar de segundas intenções.)
  • Gênio: Olá, M-T. Vou indo bem. Aqui está seu jornal, aproveitando que já o encontrei.
  • Mata-Trouxas: Eu não leio, pode ficar pra você. Ler para mim é para pessoas frouxas que pensam mais do que fazem coisas na vida. Homem que é mesmo homem não perde tempo lendo.
  • Gênio: Bom cada um é cada um.
  • Mata-Trouxas: E então. Soube do Savoir Mad. Um ano de aluguel atrasado, hein. Ô, sujeito irresponsável!
  • Gênio: Sim. Você o viu hoje?
  • Mata-Trouxas: Estava indo lá no apê dele agorinha mesmo. Soube também que a Megan foi cobrá-lo. Dá para acreditar que o otário deve nove mil reais!
  • Gênio: Na realidade dez mil reais, duzentos e trinta e dois reais e cinquenta e três centavos.
  • Mata-Trouxas: Mas... A Comandante disse nove mil.
  • Gênio: Mas é dez mil reais, duzentos e cinquenta...
  • Mata-Trouxas: Que seja. Mas o que eu quero mesmo saber é se você vai dar uma desafronta básica no Savoir pelos danos que ele te fez. Aquele travesso é o maior idiota. Merece umas pauladas. Eu posso segurá-lo e você o esmurra só pra liberar a raiva, já que sei bem que tem guardado horrores.
  • Gênio: Estou sem nenhuma pretensão. Mas, logo você? Pensei que eram amigos?
  • Mata-Trouxas: Sou amigo de quem tá certo.Já pensou em alguma coisa para isso?
  • Gênio: Nada em mente.
  • Mata-Trouxas: Pois então devia pensar. Bem. Vou indo nessa. A gente se esbarra.
  • Gênio: Pode deixar.

Gênio prossegue o trabalho sem mais interrupções. Chegando ao apartamento de Savoir Mad, Mata-Trouxas logo anuncia suas claras pretensões. Assim que chega vai logo fofocar o que presenciou, exagerando um pouquinho na história.

  • Mata-Trouxas: Como imaginei aquele certinho miserável tá armando fogo pra cima de você. Quer usar de seus direitos para te tirar até as cuecas.
  • Savoir Mad: Ele tá é perdendo tempo. Não uso mais cuecas. É investimento desnecessário, pois sem elas eu tenho um ótimo recurso de ventilação para certas regiões do corpo, já que calor parece que só tende a aumentar.
  • Mata-Trouxas: Ainda assim. Você tem que aprontar alguma coisa maior que aquela de ontem. A Megan não tem nenhum comando sobre você.
  • Savoir Mad: Amigo isto é obvio. Mas ela tem comando sobre o namorado dela, o"Comandado", e eu não quero problemas com ele. Só quero problemas com ela. Alguma ideia?
  • Mata-Trouxas: Trote anônimo só como provocação básica. Dependendo da reação, nós podemos simular um ataque a pessoa dela. Do tipo de botar pânico.Que vai entrar para história!
  • Savoir Mad: Interessante... Conte-me mais sobre o trote.
  • Mata-Trouxas: Já sei. Nós mixamos nossas vozes, fingimos sermos sequestradores. Ou então sermos médicos, enfermeiros, mecânicos...
  • Savoir Mad: Dar em cima da Megan? Gravar tudo e mostrar pro Comandante, como um meio de rachar a relação com ela e ou ter alguma arma para fazê-la esfriar de tentar medir forças comigo! Excelente ideia! Se bem que... Tenho uma ideia melhor.
  • Mata-Trouxas: Hmm...
  • Savoir Mad: Fingimos ser de um órgão da polícia, como um ultimato a respeito de uma conta atrasada importante que ela perdurou e que surgiu um mandado de prisão dela ou do Comandante. Gravamos tudo e postamos na net! Vai ser hilário. Vi isto uma vez em Fuked'.
  • Mata-Trouxas: LOL! Fico até imaginando: "Mimadinha toma uma Trollada - por SavMT", mais de milhão de acessos! Isso que é vingança! Vou preparar o mixer, para não nos reconhecerem.
  • Savoir Mad: Perfeito. Passa-me o telefone, hoje sou o policial "Bela Vista" do Rio de Janeiro.

O mixer é programado e uma falsa voz é computada, pronta para execução.Após testes, eis que a ligação para o M-A's Society estava pronta para ocorrer. Paralelamente, Gênio estava no elevador indo para recepção. Lá, Megan estava ocupada utilizando o banheiro. No saguão, especificamente no sofá para o conforto dos condôminos, uma garota caucasiana de cabelos castanhos com luzes usando uma camiseta branca com a frase: "o mundo não é problema meu", estava deitada claramente ocupada mexendo em seu tablet. Neste espaço que o telefone toca, e tal garota o ignora. Gênio chega e o atende.

  • Bela Vista: Olá, muito boa noite. Com quem eu falo?
  • Gênio: Olá. Meu nome é Anderson Eduardo Citto, e represento a recepção do prédio M-A's Society. Em que posso ajudar?
  • Bela Vista: Olá, muito boa noite, me chame de policial Bela Vista. Bom, senhor Anderson. Tenho uma má noticia para o senhor. Vimos seu ato de vandalismo precisamente no prédio em que trabalha. Estávamos querendo falar com o senhor exatamente agora, pois já falamos com seu chefe e ele nos confirmou sobre seus crimes contra a ordem estabelecida em tal imóvel. Assim sendo, o senhor está autuado a comparecer na delegacia para um depoimento, já que pelo visto, vossa senhoria e suas ações não estão isentas da vigia dos olhos da lei.
  • Gênio: Como assim? Vandalismo?
  • Bela Vista: Assim mesmo. Vandalismo. Além de seu chefe, Rafael Dlamant, recebemos recentes comprovações de alguns outros funcionários. Tais como uma tal de Megan Petternary como exemplo.(fora dali, Mata-Trouxas ri desenfreado.)
  • Gênio: Bom. Não entendo o porquê da Megan ou do Rafael terem lhe passado tal aleive. Exatamente por isso sei que deve estar ocorrendo algum engano.
  • Bela Vista: Nada disso.Não está havendo engano nenhum.
  • Gênio: Bom. Eu não vandalizei nada, por favor.
  • Bela Vista: Mentira! Vimos o senhor no local, sabemos que é você. Como consequência terá uma multa e um B.O em seu nome. Isto dará cerca de novecentos reais, sem falar dos prejuízos.(Gênio percebe o que ocorria.)
  • Gênio: Qual é o seu nome mesmo?
  • Bela Vista: Me chame de policial Bela Vista.
  • Gênio: Por que não "Savoir Mad"? Patético! Cara, essa foi idiota.
  • Savoir Mad: Eu o idiota?Você é o idiota que caiu na minha. Gravamos toda a conversa e o material com algumas "edits" já tá bom, pronto pra uso. Estamos postando no YouTube, tá bom? "Idiota cai na pegadinha do policial". Ha! Ha!Té mais, otário.
  • Gênio: Pague seu aluguel, Savoir. Deixe de ser uma criança adulta.Ou então suma de nossos olhos. Ninguém está o querendo ver tão cedo.
  • (Savoir desliga o telefone na cara de seu cobrador. Megan ouvia parte da conversa por parte de Anderson e revela-se com uma pergunta.)
  • Megan: O que foi desta vez?
  • Gênio: Savoir Mad. Fingiu ser um policial e ia me multar por ter pintado o muro traseiro. Disse que você e o Comandante tinham me denunciado. Eu devia ter sido mais rápido e percebido a do pilantra! Quero-o bem longe daqui!
  • Megan: Calma. Já dei um jeito nele. Ele tem até o fim do dia para pagar senão rua. Fique tranquilo.(A moça que deitava-se no sofá do salão, cujo nome era Ariana Eligendett, do nada começa a dar uma larga e eletrizante risada.)
  • Gênio: Mas o que foi isso?
  • Ariana: Gênio. Postaram um vídeo seu falando com um "fake police" aqui na internet. Não sabia que tu eras vândalo. Cara, que idiota.
  • Megan: Que conta que postou?
  • Ariana: JhonnyBoy3600. Uma conta alternativa de ninguém menos do que Savoir Mad em conjunto com seu amigo, Mata-Trouxas.
  • Gênio: Maldito! Sabia que estava por trás disto também!
  • Segurança: Eu disse que ele ia se vingar. Cuidado com o Savoir Mad, aquele moleque não é tão fácil assim de se domar. Eu esperava até coisa pior.
  • Gênio: Já chega! Vamos falar com o Comandante!
  • Megan: Eu sou a Comandante!
  • Gênio: Eu falei do verdadeiro Comandante. Não há reunião maior do que uma ameaça aintegridade de nosso prédio.
  • Megan: Não! O Comandante confiou a mim o comando do M-A's Society, e não vou decepcioná-lo! Nós vamos reagir.
  • Gênio: Como?
  • Megan: Não sei, mas nós vamos!

A discussão se cessa dali e todos voltam a seus postos, já preparados contra prováveis artimanhas do Savoir. Ariana continua desde então no divã passando o tempo usando o WIFI grátis. Megan lê uma revista, Gênio organiza sua estante em ordem alfabética... As coisas continuam em ordem. Um homem de sobreveste bege rodeia encapuzado o prédio duas vezes, mas não entra. O segurança de plantão o percebe. O tempo se passa, e já não era manhã, era tarde. Após o almoço, o fim-de-semana oficialmente começa. Gênio anda pelas zonas do edifício residencial rodeia pelo espaço de lazer e nota Savoir Mad e Mata-Trouxas mascando chicletes, ambos com cara de folga realmente sem fazer nada. Ele fica de olho por um tempo e vê Cássio tirando a camisa e indo nadar na piscina, se enojando quando pensa que Savoir poderia fazer o mesmo. A tarde estava quente, e um tanto mais tarde Megan para remediar o calor diminui a temperatura do ar condicionado, encorajando Ariana a continuar ainda mais alienada no mundo virtual, já fazendo horas no mesmo, acessando vários sites dentre eles o Facebook. Muitos dos inquilinos não estavam em seus apartamentos, e o movimento estava fraco. Poucos circulavam e mais poucos ainda iam para alugar um apartamento, ou então para deixar algum recado. Gênio conserta a sauna e se depara com seu desprezado devedor, que apenas o diz: "Olá, senhor Anderson"; em sátira ao áudio publicado. Ele sai na hora do espaço insatisfeito, sem dizer nada. E este foi o relatório de tudo o que se passou naquele dia, sendo que já era o fim deste, e tudo continuava como começou.

  • Gênio: Nada! O Savoir Mad não fez nada até agora. Passou o dia na piscina e na área de lazer mexendo em seu laptop com o nosso WIFI. Mas nenhum esforço para com a dívida. Que pilantra. Isto faz até reconsiderar o sentido da existência; o motivo para eu estar aqui. Você consegue me entender?
  • Ariana: Sim.
  • Gênio: Ele me estressa, humilha o meu desempenho, se aproveita sobre minha boa vontade, me irrita cada dia! Isto e muito mais e quando finalmente algo vai acontecer... A situação se resume a nada! Poxa. Muitos já estariam loucos em meu lugar, não concorda?
  • Ariana: Sim.(Savoir Mad aparecedas portasdo elevador.)
  • Savoir Mad: Olá, senhor Anderson! Tudo bem?
  • Gênio: Conseguiu os dez mil, duzentos e trinta e dois reais e cinquenta e três centavos?
  • Savoir Mad: Mas já tem juros?
  • Gênio: Este é o valor integral. Conseguiu ou não?
  • Savoir Mad: Nesse ritmo, quem consegue? A minha demanda é que consegui com um "chapa"meu a coleçãodas músicas de uma série de novelas de todos os canais abertos, e posso repassá-las para você no intuito de que perdoe a minha dívida! Quem sabe pela metade do preço!
  • Gênio: Isso é... Savoir. Vai me pagar um ano de aluguel atrasado com musiquinha de novela? Você acha que eu sou o que?
  • Savoir Mad: Eu acho que tu é um mandado, mas se não quiser, a Megan com certeza irá querer.
  • Gênio: Grrrrrrrrrrrrr! Savoir!
  • Savoir Mad: Savoir Mad.
  • Gênio: Ou paga seu aluguel ou RUA!
  • Savoir Mad: Então é rua, tchau. (Anderson se espanta.)
  • Gênio: Como é?
  • Savoir Mad: Já consegui seu dinheiro. Agora licença que eu tô passando.
  • (Savoir passa pela porta e desce as escadarias. Segurança o abre o portão e ele chega até uma lixeira duas quadras do prédio, aespera alguém. De repente...)
  • Billy: Hey!Tu é o Savoir Mad?
  • Savoir Mad: Sim, sou eu. Conseguiu o que te pedi?
  • Billy: Si só! Olha só isto. Genial, né?(em sátira ao que disse a Gênio antes, o homem aparece com um CD de música.)
  • Savoir Mad: O que é isto?
  • Billy: Um CD do Justin Bieber. Tá novinho. Não foi o que pediu?
  • Savoir Mad: CD do Justin... Você bebeu?
  • Billy: Tem até a primeira gravação dele ai e...
  • Savoir Mad: Eu não te pedi isto! Eu pedi DINHEIRO! DINHEIRO! DINHEIRO! MONEY! NÃO UM CD DO JUSTIN BIBA!
  • Billy: Maluco, eu sou mendigo! Tenho até amizade com os caras lá e pá, mas quer que eu te dê dinheiro de graça?
  • Savoir Mad: Eu pedi notas falsas no total de nove mil reais, cara. Como você me confunde isto com um CD do Justin!? Não dá para confundir! Se não pode me ajudar,té mais. Não conte com meu pagamento.
  • Billy: Fala de novo sobre o seu pagamento.
  • Savoir Mad: Você arranja uns... Onze mil falsos e eu te arranjo um apê novinho lá no M-A's Society só pra você, cortesia de Savoir Mad.
  • Billy: Putz... PERFEITO!Me "encontra" aqui daqui três horas.
  • Savoir Mad: Marcado.
  • (Savoir retorna para seu apartamento, sendo aguardado por Gênio.)
  • Savoir Mad: Consegui seu dinheiro. Te pago daqui quatro horas.
  • Gênio: Em dez minutos conseguiu nove mil reais?
  • Savoir Mad: Espere e verás.
  • (Mad continua seu caminho embarcando no elevador, e quando este chega ao térreo se depara com Cyber que sai assim que ele entra.)
  • Cyber: Oi, Gênio. Eai, resolveram?
  • Gênio: Não. Desconfio que o Savoir esteja aprontando alguma.
  • Cyber: Soube que ele te "trollou"hoje no telefone.
  • Gênio: Já sabe? Como?
  • Cyber: A Ariana compartilhou com todo o Facebook sobre isso.
  • Gênio: Droga. Cyber. Pode me fazer um favor?
  • Cyber: Depende... Quanto que eu vou lucrar? Brincando. Fala!
  • Gênio: Dá um jeito de hackearo Savoir e tenta descobrir o que ele tá armando.
  • Cyber: Pode deixar. Só que mais tarde, já que agora tenho um compromisso.
  • Gênio: Ok então, até.
  • Cyber: "Falous".

Cyber se retira e Gênio fica sozinho na recepção. Assim, o relógio continua a girar e com isso o tempo minuto por minuto a rodar. Megan aparece novamente em seu posto, Ariana continua no sofá da entrada do prédio por mais uma hora - até ter que sair depois de zerar a bateria de seu tablet - e o Mad, não deu mais as caras. Estava quieto, até demais. O sol enfim se põem, e a lua mostra seu esplendor. A hora da encomenda de Savoir chegar já era o agora, conseguindo através de um mendigo um meio de driblar seus cobradores, os enganando com notas falsas. Neste tempo Cyber já notifica Anderson o desesperançando, já que nada nos registros do computador de Mad denunciava algum plano seu. Ele era experto. Aliás, Greg ainda diz que nem mesmo seu histórico de navegação continha dados; tudo estava vazio. Do lado de fora, o homem anteriormente citado de sobreveste bege olhava para a cabine do Segurança, passando despercebido de novo. Billy já estava no local combinado, havia conseguido o dinheiro. A situação já estava armada e sem saber do que acontecia, Megan e Gênio conversavam entre si trocando comentários sobre o dia o qual Petternary foi a Comandante do M-A’s Society.

  • Gênio: Realmente. A gaveta do Comandante estava uma verdadeira bagunça, mas o próprio não deixava ninguém mexer nela. Talvez sua ação possa resultar em um problema.
  • Megan: Não. O Comandante jamais iria brigar comigo por conta de uma gaveta, ainda mais uma que nem é considerada "sigilosa". Uma coisa que me chamou mais atenção foi umas cartas esquisitas de amor que ele recebeu do "Mara".
  • Gênio: Como é?
  • Megan: Pedidos de namoro... Bem sem sentido. Não entendo porque ele guarda isso. Tem até insinuações pornografias nelas.
  • Gênio: Eu não sei. Prova para uma denúncia de assédio, talvez. (Megan esboça uma risada.)
  • Megan: Talvez.
  • Gênio: Entretanto. A intimação do "Savoir" foi o maior triunfo de hoje, o maior legado seu hoje como a Comandante. Aquele canalha finalmente vai sair e tudo aqui no prédio irá melhora. Você verá.
  • Megan: Sem exageros. Ainda temos o "Mata-Trouxas"... O "Uploster"... E ainda o Tyler.
  • Gênio: Eles aqui nem tem presença. Pra mim vai ser o céu.
  • Segurança: E então. Hoje vai ser necessário o turno da noite, Megan? Ou eu posso ser dispensado mais cedo?
  • Megan: Estou pensando em uma razão para precisar.
  • Segurança: O Comandante sempre pede pra eu continuar na vigia, mas isso acaba tornando meu expediente muito cansativo e eu estava a fim de ir para casa e... Sabem como é.
  • Megan: Fica até as nove e depois pode ir. Não vejo porque deve ficar amarrado aqui.
  • Segurança: Obrigado, "Comandanta".
  • Megan: De nada.
  • Gênio: Megan. Sabe que os M-A's possuem muitos desafetos, muitos inimigos perigosos que por conta deles, eu sempre aconselhei o Comandante a deixar a sempre a segurança redobrada.
  • Megan: Deixa de ser tão medroso, Gênio. Os M-A’s acabaram a muito tempo, e o que poderia acontecer?
  • Gênio: Segurança nunca é demais.
  • Megan: Bem. Feito já tá feito.
  • Gênio: E quem que irá abrir o portão para os condôminos?
  • Megan: Vamos testar hoje aquele sistema de senhas que estávamos testando. Todos já foram avisados na assembleia do mês passado. A questão de agora é:a Ariana irá continuar lá no sofá até nós irmos embora? Será que vale avisar que agora já não vai poder dar, pois já vamos fechar o sinal aqui?.
  • Gênio: Deixa mais um pouco. Ainda assim. Acho que não é uma boa ideia esta falha proposital da segurança.

Jurandir organizava seus pertences enquanto o mesmo homem misterioso se aproxima. Ele consegue delicadamente arrombar o portão e assim, entra sem ser percebido, de mansinho. O mendigo Billy duas quadras depois do prédio já estava impaciente, pois seu cúmplice estava atrasado dez minutos. Nisto, Savoir enfim resolve descer e pega o elevador. De repente as portas se abrem, e o sujeito todo de bege se revela. Neste tempo, Mad chega ao térreo e Megan e Gênio olham diretamente para ele.

  • Homem: Olá. Por gentileza, eu gostaria de falar com o Comandante a respeito de um apartamento que pretendo alugar as pressas, ainda hoje. Soube que ele pode me arrumar um.
  • Megan: Pode falar comigo, mas ainda hoje?
  • Homem: É que a vida se rebelou contra mim inesperadamente, sabe. Todos os que eu prezava me viraram as costas e estou vagando como um errante, despido como um mendicante, apenas com a minha tristeza.
  • Savoir Mad: Se lembrar de pagar em dia o aluguel, você tem chances ter alguma melhora aqui. Senão; a "Comandante" e o bajulador dela vão ficar te infernizando o dia todo, seja lá quanto for que estiver devendo, que vai acabar sendo obrigado ou a se jogar pra debaixo da ponte, ou então querer investir em um latão de lixo para a vida toda só para nunca mais ter a sensação de ser cobrado. Tô só avisando.
  • Gênio: Savoir...
  • Megan: Nem perca tempo com ele. Pode vir aqui que temos vários apartamentos disponíveis. Embora eles sejam todos nos andares médios aos próximos a cobertura já que todos preferiram mesmo os mais próximos ao chão.
  • Homem: Eu me simpatizo muito com a ideia. Adoraria morar no mais próximo da cobertura. Talvez até a cobertura em si, já que para mim dinheiro não é problema.
  • Savoir Mad: Que isso! Pode pagar meu aluguel atrasado, então. Demorou! Fica no total de novecentos reais...
  • Gênio: Não disse que tinha arrumado o dinheiro? E é...
  • Megan: Por favor, agora não. E então pode me acompanhar?
  • Homem: Mas é claro. Porém, antes. Uma pergunta. Pode me acompanhar para o INFERNO!
  • (O homem tira a sobreveste e mostra ser ninguém ser uma pessoa bem, bem conhecida para os ali presentes. Trata-se de um antigo inimigo dos M-A’s, como Gênio intuía que ia acontecer; um terrorista com o nome de Morre-Arth. Com sigo, ele carrega um revólver, além de outras armas e munições em seus bolsos. Aquilo era uma revanche.)
  • Megan e Gênio: Morre-Arth!!!
  • Savoir Mad: M-A! Tô indo nessa. Fui!
  • Morre-Arth: FIQUE! Para quê a presa? Se quiser ser rápido eu já lhe dou um tiro, e dai está livre para conhecer pessoalmente o capeta.
  • (Savoir desafia M-A e foge, sem levar uma só bala.)
  • Morre-Arth: DROGA! Ele irá buscar ajuda!
  • Megan: Não vai. É o Savoir Mad...
  • Morre-Arth: E VOCÊS DOIS. ONDE ESTÁ O COMANDANTE!? RESPONDAM OU MORRAM!
  • Gênio: Ahnn...
  • Megan: Ele saiu agora pouco, disse que ia ao centro ver uma coisa. Pode ainda encontrá-lo no caminho, se for rápido pode ser que o ache.
  • Gênio: Era o que eu ia dizer.
  • Morre-Arth: Não, eu o aguardarei. Enquanto isso. Vocês dois irão pagar por terem apoiado o Comandante naquela droga de movimento em fazer amizade com o Arthur. Aquele idiota, CRETINO! ROUBOU A NATÁLIA DE MEUS BRAÇOS E FAZ DE TUDO PARA DIZER O CONTRÁRIO! Eu já superei isto, mas irei fazer de TUDO PARA ACABAR COM ALEGRIA DAQUELE INFELIZ! E TODOS OS QUE O APOIARAM, COMEÇANDO POR VOCÊS!!!
  • Megan: Não precisa. Aliás, eu nem conheço esse tal de Arthur.
  • Morre-Arth: MENTIRA! Tolos se acham que podem me enganar. VÃO PARA O INFERNO! E EU IREI PAGAR SUAS PASSAGENS COM UMAS BALAS NESTA PORCARIA QUE CHAMAM DE CORPO! Aproveitem PORCOS!! Irão pagar CARO por tudo o que fizeram. Traíram-me com o Arthur, MALDITOS!
  • Gênio: Homem. Tente se controlar. Ninguém traiu ninguém.
  • Morre-Arth: MENTIROSO! (Morre-Arth puxa a arma e a engatilha contra a parede próxima a Gênio.Comandante, na sala administrativa, escuta o som que isto forma, mas o ignora.)
  • Megan: Qual é o seu problema!? O Comandante nem tá aqui, e ele nem te fez nada! Nem esse Arthur deve ter feito nada! Agora fica aqui tentando matar os outros por nada! Cara, você é maluco!?
  • Morre-Arth: BLASFÊMIA! (Ele atira contra Megan, também acertando os arredores.)
  • Gênio: Calma!
  • Megan: Droga! O Comandante vai me matar! Deixei um louco como o Morre-Arth entrar! Sem ofensas, tá.
  • Morre-Arth: EU TE MATO PRIMEIRO!
  • Megan: Saia daqui, seu psicopata!
  • Morre-Arth: Grrrrrrrrrrrrrrrrrrr.
  • Gênio: Fica calmo, acalma! Vamos conversar suavemente, somos seus amigos.
  • Megan: Não sou amiga deste monstro!
  • Morre-Arth: CANALHAS! (Morre-Arthque passa pela porta, acertando o portão. Assim, Segurança o percebe e vai dar uma olhada.)
  • Segurança: O que está acontecendo por aqui? Morre-Arth!?
  • Morre-Arth: Segurança. Você era o meu guarda-costas particular e se uniu ao Comandante naquele golpe para me tirar da liderança de meu PRÓPRIO GRUPO, não é mesmo?
  • Segurança: Saia daqui seu louco.
  • Gênio: Ele está armado!
  • Morre-Arth: VÁ PARA O INFERNO. SEU IDIOTA! (Morre-Arth atira contra Segurança e a bala passa de raspão por ele.)
  • Segurança: Grrrrrrrrrrrrrrrr.!
  • Morre-Arth: VOCÊS VÃO TODOS MORRER! Principalmente aquele DUAS CARAS que chamam de COMANDANTE! Ele me tirou a Natália, e o COMANDANTE AINDA FICA DO LADO DELE!!! Isto é um ABSURDO! Agora MORRAM!!
  • (Ariana dá uma risada chamando a atenção de todos.)
  • Morre-Arth: O que tem de engraçado em morrer, garota?
  • Ariana: Vocês não sabem o que eu descobri agora. O Morre-Arth; lembram dele? Eu achei ele no Face e vi que ele postou uma mensagem que iria sair para fazer um "acerto de contas" com todos os seus inimigos, e nela ele colocou uma lista de seus alvos. Meus amigos, lendo isto eu dou o diagnóstico de "loucura acertada" pra ele. kkkkkkk. Ele acredita ser páreo inclusive para o Comandante. Só rindo mesmo.
  • (Megan, Segurança e Gênio ficam pasmos com a audácia da garota que parecia nem reconhecer o homem que os ameaçava como quem era, Gustavo Ferreira.)
  • Morre-Arth: Fique você sabendo, "garotinha", que eu estou aqui para me vingar matando não só o Comandante. Eu posso MUITO BEM matar VOCÊ! Sua RETARDADA!
  • Ariana: Ok, tudo bem. Me deixa fora disto e pode continuar o que está fazendo em paz.
  • Segurança: Como?
  • Morre-Arth: CALEM A BOCA!! Isto é entre EU E ELA!
  • Megan: Tá bom. Fiquem à vontade.

Morre-Arth avança verbalmente contra a jovem usando dos termos mais absurdos, e ela nem sequer reage, não como o esperado. Afinal, o interesse que ela tinha em entender o que estava acontecendo, saber com quem estava conversando, era menor que a sua vontade de se desconectar a internet. Frustrante para Gustavo, ainda mais que algumas de suas frases eram interpretadas com um duplo sentido, devolvidas em forma de sátira. Querendo sair desta situação, ele vê o computador da recepção livre e decide embargar com ele em um campo o qual poderia exercer influencia sobre Ariana, o do Facebook, falhando ainda mais no próprio. Nessa paranoia toda que os três funcionários conseguem escapar daquela arapuca, livres da mira de um assassino. Ainda assim, o falado Comandante e o Ordenador ainda estavam no prédio, e as opiniões se divergem entre alertar Dlamant da invasão de Morre-Arth e pedir ajuda, ou então simplesmente fugir deixando para pensar posteriormente. Este era o confronto de mentes que ocorria entre Gênio e Megan, pois a última estava sem um pingo de vontade de incomodar seu namorado. Caminhando atorados algo bem menor acaba por desmoroná-los, pois pegam no flagra Mad e Billy trocando e contando notas de cem reais, bem na hora que Savoir comenta que nem pareciam falsas. Aquilo era um absurdo.

  • Gênio: Savoir. Estas notas que está na mão são falsas!? Você ia nos pagar com notas falsas, seu cara de pal!
  • Megan: NOS DEIXOU COM AQUELE ALUCINADO SOZINHOS! QUANTA COVARDIA!
  • Billy: Sujo! Hora do Billy se mandar. "Té" mais, Savoir.
  • Savoir Mad: "Falô". Aff. Vocês conseguiram escapar do maluquinho só pra me seguir!? Vocês me amam mesmo.
  • Segurança: Dá vontade de te trancar lá no prédio só pro Gustavo te meter uma lição.
  • Gênio: Eu vou fazer isto!
  • Savoir Mad: Segurança; violência não leva a nada. E Gênio; tenta aí.
  • Gênio: Ora seu...
  • Megan: Acalmem, tá bom! Vamos falar com a polícia, dar um jeito no Gustavo e puff. Tudo volta ao normal. E daí ninguém comenta nada com o Comandante.
  • Savoir Mad: Se eu não precisar pagar o aluguel, daí fecho.
  • Gênio: Vamos voltar!E alertaremos o Comandante sim, Megan.
  • Savoir Mad: Vai começar a briguinha do casal.
  • Segurança: Cale a boca.
  • Megan: Quer saber, tá bom. O máximo que vai acontecer é o Comandante não me deixar mais ficar no comando.
  • Savoir Mad: E sempre os "affs" sempre ficam pra mim.
  • Segurança: Fique quieto!
  • Gênio: Vamos! A reunião a esta altura já deve ter terminado mesmo.

Realmente. Comandante e Ordenador, como terminado o dia, fecharam seu dia de descontração e estavam dispostos a sair da sala da administração e verem como estava o prédio um dia sem eles. Para surpresa de ambos, percebem um maltrapilho na recepção quase rachando as teclas do computador, em uma discussão online fervorosa com alguém, pois era impossível relacionar na situação com quem era. Ele rapidamente é reconhecido como tal.

  • Comandante: Gustavo Ferreira? O que faz aqui?
  • Morre-Arth: SILÊNCIO!! Eu estou OCUPADO no momento, Comandante. OCUPANDO-ME DIFAMANDO UMA VERDADEIRA DESGRAÇADA!!!
  • Ariana: Kkkkkkkkkkkkk.Ele já está até trocando as letras no que quer me dizer. Esse cara precisa fazer um curso de ortografia, hein. kkkkkkkkkkkkkkkk.
  • Ordenador: Eu acho que deve ser uma alucinação pelo excesso de tempo que ficamos frente aquela tela, cheia de cores daqueles gráficos. Ficamos o dia todo lá dentro. Jamais quero repetir a dose.
  • Comandante: Não é alucinação, é um alucinado! Hey! Palhaço! Saia deste computador e me enfrente!
  • Morre-Arth: Eu já disse o que tinha a dizer. VÁ A MERDA!(Aproveitando-se do que estava acontecendo, Comandante puxa Gustavo pelo ombro e o derruba no chão.) Quem pensa que é para me desafiar deste modo!!(Completamente na vantagem, o proprietário do edifício avança no terrorista e começa a ataca-lo brutalmente, de modo que o M-A não possa revidar. No processo, ele logo o desarma e um dos calibres cai justamente no colo de Eligendett.)
  • Ariana: Mas, o que é isso?(ela finalmente percebe o que estava acontecendo.) Caramba. Morre-Arth no M-A’s Society em uma briga com o Comandante. Não sei de onde ele veio, mas sei muito bem para onde ele irá.(Ele puxa do bolço de seu jeans seu celular e inicia uma gravação. Assim, o momento e a perda humilhante de Ferreira é registrada, por pouco tempo. Ele vendo-se desprotegido decide se apartar da briga, no exato momento em que o quarteto adentra novamente no prédio e contemplam a cena.)
  • Segurança: O que é isso? Comandante!
  • Megan: Droga, droga, droga.(Comandante dá seu último soco, fazendo Morre-Arth que recém estava em pé a cambalear.)
  • Morre-Arth: EU IREI ME VINGAR, COMANDANTE!! UM DIA!! UM DIA IRÁ SE ARREPENDER DESTE!
  • (Mad logo raciona algo. Morre-Arth estava correndo usando de todas as suas forças para empurrar os quatro para poder se retirar dali, assim perdendo quaisquer possibilidade de ser preso e punido por seus malfeitos. Nesta, estampando notas de cem falsas de um envelope que estava em suas mãos, Savoir sugestiona visualmente um assalto que é logo acatado pelo próprio Gustavo, que rapidamente apanha a quantia e se distancia.)
  • Morre-Arth: Um PAGAMENTO PELA AFRONTA DE HOJE!! AGUARDE POR NOTÍCIAS MINHAS, COMANDANTE.
  • (Enfim, ele já estava longe de ser visto.)
  • Segurança: Maldito. Já era, ele fugiu.
  • Comandante: Deixa, contanto que ele não volte a nos incomodar não nos é problema. Agora tenho uma pergunta. O que houve aqui em minha ausência, Megan?*Megan: Na verdade...
  • Savoir Mad: Eu conto o que houve. Você já ia saber mesmo. Aconteceu o seguinte: hoje eu decidi me unir e ajudar o Gênio e a Megan em suas obrigações já que me pareceu que eles estavam querendo se sobressair já que pelo visto você deixou a Petternary no comando do prédio. Daí, eu fiquei contribuindo em questões físicas enquanto eles organizavam e atualizam muitos documentos. Sei que pode parecer mentira, mas hoje mais cedo, pode perguntar para quem for, sofremos um vandalismo de ninguém menos do que o "pichador solitário", sabe muito bem quem é. É nessa que eu entrei, pois de manhã eu fiz uma insinuação sobre o que tinha acontecido, e o Jurandir foi lá e viu... Poxa, ia sobrar para eles. Todos estavam ocupados e como iam largar suas obrigações para cuidar de algo tão chato como isso? Aí que eu me sugestionei a ajudar em troca de uma diminuição do pagamento do meu aluguel, já que hoje era o dia de eu pagar. E aí, as coisas foram, até que eu chamei o Jurandir, o que me arrependo muito, para ver o meu trabalho para dignificar a diminuição do valor que seria me cobrado. Nessa, o malandro Morre-Arth escala nos muros ou o portão; sei lá, e entra. Gênio e Megan ficaram como reféns, alguns tiros – me surpreende como não escutou – ocorreram, e no final eles fogem. Depois de toda a barbaria eu fui ao banco pegar o dinheiro, e quando voltei fico sabendo do caso e volto para ajudar e... A partir daí já presumo o que aconteceu. Por sorte, você conseguiu dar uma lição nele, mas o infeliz roubou o meu dinheiro. Que maravilha...
  • Gênio: Ahhnn?
  • Megan: Repete.
  • Comandante: Caramba, que história. Embora me cheire má contada, embora você realmente entrou aqui com um envelope e o Morre-Arth o roubou. Se eu estava enganado ou não em minhas opiniões sobre você, Savoir, eu não sei. Todavia, ao menos na questão do dinheiro você parece estar me falando a verdade, por tanto, por que não lhe dar uma anistia. Afinal, esse valor foi um incentivo, mesmo redundante, para a saída daquele psicopata de minhas terras.
  • Gênio: Peraí!
  • Savoir Mad: Muito obrigado, Comandante. Então irei para minha casa.
  • Comandante: Bom. Gênio; eu quero que você rasgue a divida do Savoir. Vamos começar do zero. Porém, antes que possa fazer isto eu quero saber uma coisa. Realmente aquilo que ele disse é verdade, Megan?
  • (Uma pequena tensão se forma. Gênio a olha exigindo a verdade, querendo expor Mad frente a Comandante e acabando com seu maior incômodo de uma vez por todas. Já o próprio, a olha com deboche. Ele sabia que Megan não queria revelar seu erro em deixar M-A entrar, pois poderia comprometê-la. Comprometer sua eficiência como uma líder. Ela estava oscilante.)
  • Megan: É verdade.
  • Gênio: Como assim!?.
  • Comandante: Então está bem. Eu me ausento por um dia e o prédio quase se desmorona. Pode parecer uma espécie de gabe, mas é verdade. Peço desculpas por ter deixado este incidente ocorrer. Eu falhei em deixar os recursos certos para poder geri-lo, jamais poderia imaginar que algo como isso pudesse ocorrer hoje. A culpa foi toda minha.
  • Megan: Jura?
  • Comandante: Sim. Segurança. Fique no turno da noite. Já você, Gênio. Está dispensado.
  • Gênio: Mas... Por quê!?
  • Comandante: Oras, é o fim do seu turno, e estou sem ideias para um motivo para fazer hora extra. Enfim. Podem sair.
  • (Os dois obedecem, com Gênio ficando frustrado e reflexivo. Comandante, Ordenador e Megan estavam a sóis.)
  • Comandante: Desculpe Megan. Por te deixar sozinha no comando com o Morre-Arth na espreita. Poderia ter se ferido.
  • Megan: O Segurança teve um corte no braço.
  • Comandante: Ele sabe se virar. A questão é desculpa por tê-la deixado na mão hoje. Sei que parece exagero, mas poxa, te deixei a cara a tapa justo em um dia como esse. Prometo que está situação não irá se repetir. Nunca mais haverá reuniões destas no sábado, certo Ordenador?
  • Ordenador: Certo.
  • Megan: Ahhnn... Obrigada.
  • Comandante: Excelente. Vamos. Pelo visto o Gênio quebrou a cara com o Savoir Mad hoje. Ele parece ter sido tão altruísta, e ele fica reclamando dele.
  • Megan: É. (Megan fica ressentida por não ter falado a verdade para Comandante. Por ter vacilado.)
  • (Os dois entram no elevador e sobem para seus andares. Gênio, que fechava a recepção, continua lá ainda inconformado.)
  • Gênio: Isto não é justo isto. Ele me apronta de tudo um pouco e no fim foi taxado de herói. Como isso é possível, que loucura é essa! E eu faço tudo pelo bem do prédio e ainda acontece isto. Isso é o fim! E o Comandante; pensei que ele fosse meu amigo, mas seu comportamento perante a mim foi completamente frígido. E a Megan; por que não falou a verdade? É pedir demais isto! Todos têm medo do Comandante, e o Savoir se aproveitou disto mais uma vez. E o Segurança!? Hein! Quando isto vai mudar!?
  • Ariana: Ahan.
  • Gênio: Maravilha. Como eu amo essa rotina.

Assim, todos com exceção de Ariana que por incrível que pareça fica mais um pouco no saguão, vão para seus respectivos apartamentos e dormem. As luzes pouco a pouco se apagam e Savoir continua lá em sua moradia, contente. Tudo parecia bem. Não importava o que acontecesse, o que começou terminou no mesmo jeito, como por exemplo, Gênio em um estado genuíno de gora. Tempos depois da fuga, Morre-Arth percebe que foi enganado por Mad e dorme inquieto ainda nas ruas, no meio do lixo ao lado do mendigo Billy, que dividia espaço com ele. Assim acaba mais um dia normalmente anormal em um grande município regular. A reluzente cidade de Wikaner.

Ad blocker interference detected!


Wikia is a free-to-use site that makes money from advertising. We have a modified experience for viewers using ad blockers

Wikia is not accessible if you’ve made further modifications. Remove the custom ad blocker rule(s) and the page will load as expected.